22 de março de 2011

“O homenzinho da rua George” O valor de um folheto...


O pastor Dave Smethurst de Londres relatou esta importante história:

No final de um culto de domingo um membro pedindo a palavra contou seu testemunho, e então disse:

Eu vivi em Sidney, na Austrália, em uma ocasião fui passear na rua George , centro comercial, um homem baixinho, de aparência estranha, de cabelos brancos , saiu da entrada de uma loja , entregou – me um folheto e perguntou-me : desculpe , mas o senhor é salvo ?Se morrer hoje à noite, o senhor ira para o céu?

Fiquei perplexo com a pergunta, pois jamais alguém havia me perguntado uma coisa dessas; agradeci o folheto e pouco tempo depois eu entrei em contato c/ um amigo que já era cristão e me conduziu a igreja.

Uma semana depois o pastor viajou a Adelaide no sul da Austrália , no final do culto uma mulher veio se aconselhar . Ele logo lhe perguntou sobre sua conversão:

Então ela respondeu morei em Sydney por algum tempo, e voltei lá para visitar alguns amigos, estava na rua George, então um homenzinho de aparência curiosa, de cabelos brancos saiu da entrada de uma loja e veio em minha direção, ofereceu-me um folheto e perguntou-me: desculpe, mas a senhora já é salva? Se morrer hoje irá para o céu?

Estas palavras me deixaram inquieta, de volta à cidade de Adelaide procurei um pastor que me conduziu a Cristo.
Fiquei muito admirado, duas vezes dentro de quinze dias eu ouvi o mesmo testemunho em lugares tão distantes.
Viajei para outro lugar na Austrália e quando conclui o meu trabalho na cidade um ancião da igreja me convidou para almoçar. Aproveitando a oportunidade perguntei –lhe como ele tinha se tornado cristão. Ele então explicou: a três anos fiz uma viagem de negócios a Sydney, um homenzinho, de aparência estranha saiu da entrada de uma loja, e me entregou um folheto “propaganda barata” e disse: o senhor já é salvo? Se morrer hoje o senhor ira para o céu? tentei lhe contar que era um ancião de uma igreja, mas ele não esperou.

Durante todo caminho de volta a minha casa em Perth eu fervia de raiva, então fui falar com o meu pastor , acreditando que ele também acharia que não se entrega folheto para uma pessoa que já e crente, mas ele não concordou comigo de forma alguma, e mostrou a minha necessidade de um relacionamento pessoal com Jesus, foi assim que a três anos eu me converti.

Em Londres no final de uma série de conferências contei este testemunho, e quatro pastores idosos vieram a frente e testemunharam que eles também foram salvos a 25/30 anos atrás pela mesma pergunta e por um folheto entregue na rua George em Sydney na Austrália.

Na semana seguinte viajei para uma igreja no Caribe e falei à missionários, também lá contei os mesmos testemunhos, e no final de minha palestra, três missionários vieram a frente e testemunharam que a 15/25 anos atrás eles igualmente haviam sido salvos pela mesma pergunta e pelo folheto do homenzinho da rua George na distante Austrália.

Minha próxima serie de palestras me conduziu a Atlanta nos EUA, onde preguei num encontro de capelães da marinha, no final o chefe dos capelães me contou que sua conversão foi um milagre, disse ele: Em certa ocasião estava completamente embriagado e peguei um ônibus errado e desci na rua George, ao descer do ônibus pensei que estava vendo um fantasma, quando um homenzinho apareceu na minha frente com um folheto na mão, e perguntou-me marinheiro você está salvo? Se morrer hoje a noite você irá para o céu?, o temor a Deus entrou no meu coração fiquei sóbrio de repente, corri para o navio e fui procurar o capelão que me levou a Cristo.

Oito meses depois fui pregar em Sydney, perguntei ao pastor local que me convidara, se ele conhecia um homenzinho pequeno de cabelos brancos que costumava distribuir folhetos na rua George, Sim eu conheço é o Sr Genor.


Pedir-lhe que me levasse até a casa do Sr. Genor, batemos na porta e um homenzinho de aparência frágil e muito idoso nos saudou, contei-lhe todos os testemunhos que ouvira a seu respeito nos últimos três anos.

As lágrimas começaram a rolar pela sua face, então ele nos relatou sua história:

À quarenta anos faço isso mas até o dia de hoje não tinha ouvido falar de ninguém que tivesse aceitado Jesus através do meu trabalho...

Vemos a história de uma verdadeira dedicação de um homem que continuou trabalhando por quarenta anos sem saber de qualquer resultado positivo.

Esse homem simples, pequeno e sem aparência deu muitos frutos, e você?

Fonte: Jornal Ceifeiros em Chamas.

Um comentário: